1 de agosto de 2010

Versos do Meu Amigo Jorge de Portugal.


Versos sem amor.

Não esperes....

Porque não os possuo

Percorro dividido.


Essa vida

E minhas mãos...

Já não se unem'

Escorrem dos espinhos

Com labaredas de desassossego

Os poemas que lês

Que trago no bolso vazio

Na alma da tua mesada

E no colo de criança

Que levemente abraças de miséria´

Quinhão onde tropeças.


by Jorge Pereira
Ei meu querido! Adoro os seus poemas!!!!!
Beijinhos com sabor tropical do Brasil!

1 Comment:

  1. reltih said...
    cuando pondrás en tu blog un traductor, no puedo dejarte comentarios coherentes porque no entiendo mucho tu idioma.
    besos

Post a Comment



Runas

Tarô

Minhas Músicas

Template by:
Free Blog Templates