22 de janeiro de 2009

Histórias do Coração


Era uma vez uma Fada Virtual que entre redes e conexões, visitava as pessoas com poemas escritos por suas próprias mãos. Seus poemas eram delicados e falavam de coisas simples e importantes da vida. Eles falavam do sol, do mar, dos amigos e um pouco de tudo que habitava seu coração.

Ela era uma Fada muito especial, pois se entregava nas suas relações de corpo, alma e asas... Dividindo sua vida sem fazer muitas questões os seus amigos facilmente podiam ver o que tinha dentro de seu coração, que era tão magicamente constituído de poesia e de delicadas e amorosas canções.

Um dia esta Fada entre as tais redes e as mil conexões encontrou uma Bruxa que desejava ser do bem e, tentando ajudá-la nesta missão, a Fada resolveu dar ela um pouco de tudo o que tinha em seu coração.

E assim Bruxa e Fada todos os dias se encontravam um pouquinho para partilhar as coisas que sentiam, a Bruxa tinha um pouco de reservas e a Fada não! Pois as Fadas são inteiras nas suas relações, a Bruxa queria ser, mas não conseguia, não!

A Bruxa não tinha reservas por maldade, mas tinha dificuldade de abrir seu coração e por mais que as histórias digam que as bruxas são más, esta queria ser diferente, mas só que não sabia administrar. E sabe no fundo ela acreditava que podia aprender com a Fada resolver o X desta questão, ou seja, falar das coisas que se passavam em seu coração, que não era santo, não!

O tempo foi passando Bruxa e Fada foram tentando entender e conversar sobre o que se passava em muitos corações que conheciam e acreditavam que fazendo isto um dia poderiam entender alguns elementos misteriosos que rondavam seus corações.

A Fada conseguia falar dos mistérios e das angústias que habitavam o seu, mas a Bruxa de tantas reservas, não. Tinha medo que as sombras feias que habitavam seu coração pudessem assustar tanto a Fada e que esta então por justiça e verdade lhe desse de castigo ou de prêmio a exclusão. No fundo ela sabia que a Fada era boa e que não lhe confinaria a exclusão.

Ah! Mas quem dizia que a tal Bruxa conseguia ser mais forte que os males que habitavam seu coração?! Ninguém ousava, pois ninguém sabia dos seus mistérios, logo ninguém podia ajudar, então!? E a Bruxa sofria calada tendo que administrar os males que habitavam o seu pequeno coração.

Um dia a Fada de tão boa que era e percebendo que a Bruxa não estava bem, deu-lhe forças ainda que indiretamente para que a Bruxinha escrevesse sobre o que se passava. A bruxa assim fez e começou a libertar seu coração.

E o ato de escrever para Bruxa virou um período de compulsão, pois aquilo de algum modo fazia bem ao se coração. E olha que a Bruxa não escrevia bem, às vezes era violenta com as letras, mas a Fada sabia que era esta a violência que habitava o coração.

Afinal, a Fada era uma poetisa e estava acostuma a escrever sobre as coisas que habitavam seu coração. A Bruxa foi escrevendo, mais, mais, mais... Cada vez mais... E a Fada ia lendo tendo que entender o que se passava e quais os mistérios que habitavam aquele esquisito coração. Entre leituras e re-leituras, nas linhas e entre linhas, um dia a Fada, um estalo teve, então. Percebeu que a Bruxa sofria de um certo modo do mesmo mal que habitava seu coração.

A Fada chorou muito e com a Bruxa falou, então: que não era necessário ter omitido sobre estas coisas. A Bruxa ficou assustada com a entrada da Fada em seu coração e chorou muito desesperada, por causa de todas as conexões.

A Fada não julgou a Bruxa, apesar da tristeza de seu coração e resolveu tentar continuar sendo sua amiga e dar um jeito nos males que habitavam ambos corações. A Bruxa ficou assustada com a decisão até, então; mas se sentia aliviada, pela amada decisão.

Hoje em dia Bruxa e Fada ainda estão em conexão, elas redefinem a amizade e buscam juntas soluções. A amizade não é mais a mesma, certamente, não está melhor e nem pior! Mas eu percebo que se depender do amor, da amizade e do carinho que uma sente pela outra, eu sei que o novo caminho que agora elas juntas fazem será bem melhor e que do que havia sido feito até, então.

2 Comments:

  1. Darigan said...
    ola,gostei muito dessa historia
    queria saber qual o filme dessa historia?
    eu so fã dessa historia so que ate hoje
    nao achei o nome dela...voce poderia me
    informar sobre o nome?
    obrigada
    silvia.
    Helô Strega said...
    Olá esta história é minha vida, faz parte da vida real, um fragmento das coisas que vivo, aki neste espaço escrevo muito sobre a vida real.
    Um beijo Silvia!

Post a Comment



Runas

Tarô

Minhas Músicas

Template by:
Free Blog Templates